Público-alvo X Persona: Entenda as diferenças e trace o perfil certo para o seu negócio

publico-alvo

Para dar início a todo negócio o empreendedor precisa definir coisas importantes como missão, valores e objetivos, além de  analisar seus concorrentes e futuros clientes. 

A importância de saber quem são seus consumidores, como eles pensam, qual a faixa etária e outras informações, por sua vez, são necessárias para criar as  estratégias de vendas mais eficientes e atingir as pessoas certas no momento certo.  

Além disso, quando a empresa não sabe exatamente a composição do seu público ela corre o risco de desperdiçar recursos e fazer ações erradas que não conversam de forma eficiente com os clientes.

Por esse motivo, é importante saber os conceitos de público-alvo e persona para saber exatamente como aplicá-los no dia a dia da empresa. 

Público-alvo

Público-alvo é um grupo com determinadas características em comum. Ele é definido a partir do perfil comportamental, socioeconômico e demográfico das pessoas.

Ele é mais abrangente e, por isso, contempla um recorte específico da sociedade, porém não especifica um indivíduo. Por meio dele a empresa terá uma visão mais clara da fatia da sociedade na qual o serviço ou produto pode ser útil e focar em ações de divulgação para essas pessoas.

A definição do público-alvo é feita a partir do levantamento de dados e análises que possibilitam a segmentação. Geralmente, as informações contempladas são:

  • Idade;
  • Gênero;
  • Profissão;
  • Estado civil; 
  • Formação;
  • Região de origem.

Como determinar o público-alvo

Para descobrir com precisão qual é o seu público-alvo será necessário muito planejamento e estudo do nicho no qual a empresa e seus serviços ou produtos estão inseridos. 

Além das análises externas, é preciso fazer uma análise interna do seu negócio. Dessa forma, você conhece seus produtos ou serviços e sabe exatamente quais soluções eles entregam. 

Para começar, se faça as seguintes perguntas e as respostas a partir dos dados coletados:

  • Seus produtos ou serviços são destinados a outras empresas ou pessoas físicas?
  • Em qual região sua clientela se concentra?
  • Seu produto ou serviço é voltado para um gênero específico ou é unissex?
  • Qual é a geração ou idade dos seus clientes?
  • Quais características importam para seus concorrentes e quais segmentos da sociedade eles atendem?
  • Quais as necessidades dos consumidores a serem atendidas?
  • Entre outras questões.

Outra dica para traçar o perfil do público-alvo é recorrer a pesquisas sobre o seu mercado e até dados divulgados por entidades como o IBGE.

Se a sua empresa já conta com clientes ativos é importante abordá-los para entender o perfil e comportamento daqueles que já conhecem a sua marca. 

Persona 

Persona é um personagem fictício criado a partir de dados e comportamentos reais que apresentam as principais características do cliente ideal.

Atualmente, a persona é mais utilizada em estratégias de marketing  do que o público-alvo. Isso porque com a internet nossos hábitos de consumo mudaram e tais mudanças passaram a requerer maior assertividade na identificação do público. 

Com a definição da persona a empresa irá transformar o público como um todo em uma única pessoa com dúvidas e necessidades reais que precisam ser atendidas pelas soluções que a marca oferece. 

A partir daí os conteúdos e materiais de marketing produzidos serão mais específicos e certeiros, ou seja, chegarão nas pessoas certas e, principalmente, no momento certo da compra.  

Como criar a persona

Apesar de ser um personagem fictício a criação da persona não deve ser baseada em achismos. Ela irá representar clientes e oportunidades de negócio reais e, por isso, será um membro do time de marketing.

Para começar a criar a sua persona vá a campo para fazer pesquisas e coletar dados do público-alvo da empresa.

A análise desses dados devem te ajudar a identificar os padrões nas respostas que apresentam características, problemas, desafios e dúvidas em comum para, então, criar um personagem que reúna todos eles.

A partir daí sua persona começa a ganhar características específicas, como nome, idade, gênero, profissão, entre outros. 

Ao desenvolver uma persona, crie um texto descritivo sobre ela, aponte e adjetive sua personalidade a fim de perceber seus hábitos, comportamento e o relacionamento com a empresa. 

publico-alvo

Público-alvo X Persona 

A partir das informações acima deu para perceber que a público-alvo e persona tem o mesmo objetivo: segmentar a clientela e direcionar tomadas de decisões. No entanto, suas propostas são diferentes.

Apesar de funcionar como um bom ponto de partida para as suas estratégias e auxiliar a determinar o foco da empresa e  precificação de produtos, por exemplo, o público-alvo será sempre mais genérico justamente por conta da sua abrangência. 

Já quando se trata da persona é como se você tivesse passando uma lupa pelo seu público-alvo para entender suas especificidades. Assim, a produção de conteúdos e outras estratégias se torna mais efetiva. 

Além disso, a persona dá mais segurança na tomada de decisões, pois sua equipe terá uma melhor ideia das ações a serem tomadas na comunicação e venda. 

Abaixo, veja as utilidades desse dois conceitos e mais algumas diferenças:

  • Público-alvo: É usado na definição de estratégias de posicionamento do mercado e em segmentação de mídias pagas.  Trabalha com definições amplas de pessoas que podem querer o seu produto/serviço e não fala sobre hábitos.
  • Persona: É usado em estratégias de marketing que interagem com o público, no  marketing de conteúdo e no social media. Definição específica que constrói o  consumidor ideal apresentando detalhes sobre hábitos e trabalhos. 

Exemplos

Público-alvo 

Para ilustrar como é o público-alvo, separamos um exemplo de uma academia para iniciantes. Neste caso, a academia é especializada em aulas de dança e está a procura de reduzir gastos oferecendo um número menor de modalidades. 

Para isso, ela fez um estudo sobre sua clientela e chegou ao seguinte grupo majoritário de clientes:

Mulheres, 37 a 52 anos, formação básica, renda mensal entre R$2.500 e R$4.000, casadas, moradoras da região sudeste e se interessam principalmente por aula de dança de salão.

Persona

Agora vamos ver um exemplo de persona de uma empresa do ramo imobiliário especializada em consórcio para apartamento. 

A empresa quer dar um gás na produção de conteúdo para o blog e para as redes sociais com objetivo de captar e atrair leads. Por isso, resolveu criar a persona. 

George tem 32 anos, é formado em jornalismo e é gerente de comunicação de uma grande empresa. Ganha entre R$4.000 e R$7.000, é solteiro. Está a procura do seu primeiro imóvel próprio e costuma pesquisar na internet pelo termo consórcio imobiliário vale a pena a fim de fazer a melhor decisão. É preocupado com suas finanças pessoais e não toma uma decisão antes de planejar e pesquisar bastante. 

Benefícios para o seu negócio

Optar por estabelecer o público-alvo e a persona ou ambos é uma providência que fará toda a diferença nos rumos da sua empresa. Elas serão o ponto inicial para todas as tomadas de decisão, sejam elas na comunicação ou parte administrativa. 

Outro benefícios de se aplicar esses conceitos são: 

  • Comunicar-se melhor com o mercado;
  • Desenvolver campanhas eficientes;
  • Definir linguagem de comunicação;
  • Entender o valor que o público tem com a sua marca;
  • Definir posicionamentos;
  • Diferenciar-se da concorrência.

Agora chegou a hora de você traçar os melhores perfis que ajudarão a guiar você e a sua equipe para o futuro. Tenha em mente que determinar o perfil ideal é um processo e como todo processo será necessário fazer análises constantes e correções ao longo do caminho. 

Texto produzido por Business Connection